Livros

POR QUE EU AMO LER

Um dia desse eu vi uma postagem no instagram da Amazon que fazia a seguinte pergunta “Qual foi o livro que fez você se apaixonar pela leitura?”. Fui um pouco além e resolvi fazer uma investigação de como eu me apaixonei pela leitura. Até porque uma andorinha só não faz verão e um livro só não me fez virar amante da leitura. Na verdade, foi todo um processo onde meus pais e minhas professoras do primário foram muito importantes. Então vamos lá!

Eu não vou lembrar a ordem com que as coisas aconteceram e muito menos a data. Eu era muito novinho quando comecei a ler, ou melhor, quando começaram a ler pra mim.

Lá perto de casa tinha uma biblioteca que, infelizmente, não sei dizer se ainda está funcionando, mas imagino que não. Aliás, as bibliotecas estão cada vez mais raras. :/ Minha mãe ia nessa biblioteca e pegava alguns livros, entre eles a coleção de cronicas “Para gostar de ler”. Ela levava esses livros pra casa e lia para mim e para o meu irmão. Sim, enquanto a mãe de vocês lia os contos dos irmãos Grimm, a minha lia as cronicas do Fernando Sabino, Carlos Drummond de Andrade Rubem Braga e outros autores… Aparentemente, deu certo.

Essas crônicas lidas pela minha mãe fizeram eu ir pegando gosto pela leitura.

Eu li esse livro quando eu era da segunda série, se minha memória não está me traindo. “O homem que vestia todas as roupas que tinha” é um livro simples, mas que ficou marcado. Tentei recordar o motivo pelo qual esse livro ficou na minha memória, porém não consigo lembrar de nada especial. Simplesmente, ele me marcou.

No meu colégio, durante o primário, tinha um projeto em que o aluno levava um livro por semana para casa. Quem lesse mais livros durante o ano ganhava um prêmio simbólico, tão simbólico que eu nem me lembro quais eram. Só lembro que rolava uma premiação básica para incentivar as crianças. Esse projeto encheu mais um pouquinho o pote do gosto da leitura.

Eu lembro de uma bienal que fui com meu pai que compramos “O Menino Maluquinho” e um livro do Pelé que o autor autografou para mim. Eu lembro que nessa bienal meu irmão, mais velho que eu, comprou uns livros de poesia e eu comprei, além dos dois livros que já falei, o “Outro como eu só daqui a mil anos” também do Ziraldo. Esse livro tinha 78 páginas e eu achei mega grande por que estava acostumado com outros livros infantis que eram menores. Essa ida a bienal também encheu o pote do gosto pela leitura.

Obs.: meu pai não vai mais a bienal comigo. Pois, segundo ele, eu ando muito. Uma injustiça com a minha pessoa!!

Então, galera, esses foram alguns fatos, dos quais me recordo, que me levaram a ler. Com certeza tem outros, mas não da para colocar tudo aqui. :/ E vocês, tem algo especial que levaram vocês a gostar de ler?

Comentários

comentários

Você pode gostar também

Sem comentários

Deixe uma resposta